Psicologia das Cores: como utilizar na sua estratégia de marketing? 

psicologia das cores

A psicologia das cores é uma técnica utilizada nas estratégias de branding quando se faz a gestão de uma marca em uma empresa ao se criar slogans, símbolos ou logotipos na identidade visual de produtos e serviços.

As cores ajudam nas propagandas de marketing em qualquer tipo de negócio e possuem um poder enorme na decisão de compra do consumidor e são utilizadas inclusive nas campanhas de táxi para cachorro.

O impacto produzido por elas pode ser positivo ou negativo e pode-se notar que marcas famosas existentes atualmente no mercado se utilizam da psicologia das cores, como estratégia em campanhas, fortalecendo, dessa forma, o posicionamento frente aos clientes.

A verdade é que sendo proprietário de uma empresa de pequeno ou médio porte, as cores podem ser usadas para aumentar as vendas de produtos ou serviços e aplicá-las corretamente perfaz diversos benefícios.

O que é psicologia das cores?  

Trata-se de uma área da ciência que estuda a forma como o cérebro reage e compreende as cores quando são visualizadas e nesse sentido elas acabam influenciando as decisões de acordo com as emoções, pois cada cor gera um sentimento e uma sensação.

As pesquisas indicam que conforme a estratégia da cor utilizada por um veterinário próximo a mim, por exemplo, na clínica para tratar dos animais, as consultas aumentam, pois podem transmitir segurança ou o sentimento de empatia e outras impressões positivas.

Esse tipo de influência pode ser observado nos sites, quando as campanhas de publicidade são realizadas, seja para decorar uma casa ou escritório particular, na área da moda ou também na identidade visual de uma máquina de bordar semi industrial.

É realmente fascinante usar a psicologia das cores para mudar o humor de um cliente, criando na memória desejos que o levem a admirar uma marca ou a comprar produtos que expressem as sensações internas que acontecem ao visualizá-las.

Continua depois da listagem de artigos relevantes…

Importância da psicologia das cores no branding

A utilização das cores é crucial nas estratégias de branding porque despertam diversas sensações e criam conexões conscientes e inconscientes no consumidor, que são cruciais no momento de decisão da compra de um produto ou serviço. 

Na verdade, esse também é o objetivo do branding no sentido de fazer com que o cliente escolha uma determinada marca, como a de um aquecedor Ariston, por exemplo, que, via de regra, são instalados em condomínios residenciais.

Por isso, é fundamental aprender a usar a teoria das cores para que a transmissão da mensagem seja mais fácil para o público-alvo, influenciando-o a tal ponto que o leve a não ter qualquer tipo de dúvida nas decisões de compra.

Ainda existem muitos mitos que rondam o uso das cores no branding ou nas estratégias de marketing em clínicas de exame de acuidade visual para concurso, por exemplo, no sentido de acreditar que uma cor específica produz a mesma emoção entre as pessoas.

Inclusive, existem dúvidas se as cores podem ou não converter clientes em uma página de vendas e tudo isso tem que ser levado em consideração antes da aplicação da psicologia das cores. Afinal, é preciso testar o que funciona melhor para o público-alvo.

A origem da psicologia das cores 

O primeiro registro referente ao estudo das cores ocorreu em 1666, no momento em que Isaac Newton conseguiu separar a luz branca em diversas cores, passando-a por um prisma.

Contudo, em 1818, o poeta alemão Johann Wolfgang Von Goethe publicou o primeiro livro intitulado “Teoria das Cores”, com estudos experimentais entre a quantidade de luz em um ambiente com relação a percepção obtida por uma pessoa ao observar um objeto.

Esses estudos não tinham embasamento científico, mas geraram algumas ideias como a de que a cor preta, do ponto de vista psicológico, é uma cor e não a falta de cores, conforme teoria defendida pelos físicos.

Depois de 200 anos, a socióloga alemã Eva Heller entrevistou por volta de duas mil pessoas entre 18 e 97 anos, com profissões e estilos de vida diferentes para descobrir as cores mais favoritas e menos apreciadas.

Ela descobriu que a noção do significado das cores é o resultado de alguns padrões de registros gravados no inconsciente, com relação ao ambiente em que as pessoas são criadas, assim como o tipo de cultura e podem variar através dos tempos.

 

Como aplicar a psicologia das cores no marketing?

Muitas empresas ainda ignoram que as cores, quando utilizadas junto ao design, por exemplo, tornam a aparência mais agradável aos olhos do consumidor, e ela é um critério importante para a decisão de compra de produtos e serviços.

Sendo assim, em projetos ou publicidades, a escolha precisa ser criteriosa e elas devem ser utilizadas nos seguintes quesitos:

  • Na marca de um produto;
  • Em embalagens;
  • Em anúncios patrocinados;
  • Em websites ou lojas virtuais.

Caso o uso seja incorreto, pode levar a resultados negativos, mas, via de regra, as cores são ótimas ferramentas para criar conexões mais profundas com o consumidor, despertando-lhes emoções que os direcionam para as compras.

Roda das Emoções

Roda das Emoções é um modelo criado por Robert Plutchik, um psicólogo norte-americano que teve como base a teoria evolutiva das emoções, que mudam ao longo do tempo, fazendo com que o ser humano consiga se adaptar ao meio externo.

São recursos gráficos que unem as cores às emoções e os seres humanos possuem oito tipos básicos de emoções, segundo a psicologia e são usadas no marketing empresarial:  

  • Alegria;
  • Confiança;
  • Medo;
  • Surpresa;
  • Tristeza;
  • Nojo;
  • Raiva;
  • Antecipação.

Combinadas entre si, geram emoções compostas ou secundárias, perfazendo um total de 24 emoções, úteis na comunicação de uma mensagem mais clara e precisa, e quando o branding for utilizado, as cores usadas é que vão gerar esses sentimentos no cliente.

As cores, na verdade, são os pontos de contato com os consumidores e geram diversos tipos de sentimentos antes de um cliente decidir-se na colocação de um piercing de pressão para umbigo, por exemplo.

Quando as cores escolhidas são combinadas, elas acabam representando uma marca porque, de uma certa forma, transmitem o espírito, a cultura e os valores da empresa, potencializando a forma como os produtos e promoções são apresentados.

Benefícios da psicologia das cores 

A utilização das cores, como o vermelho, azul, amarelo, verde ou laranja, e as combinações advindas das misturas perfazem muitos benefícios para as empresas nas propagandas e campanhas de produtos e serviços. Alguns desses, serão mostrados na lista abaixo:

  • Demonstrar rapidamente o propósito da marca;
  • Gerar emoções positivas;
  • Manter o produto ou serviço na mente do cliente;
  • Converter leads;
  • Aumentar as vendas;
  • Tornar a empresa, marca, produto ou serviço inesquecível;
  • Atingir o público-alvo através dos sentimentos positivos;
  • Destacar-se no mercado através de cores impactantes;
  • Difundir uma marca com mais eficácia.

A intenção ao se utilizar as cores adequadas é que elas gerem emoções positivas nos consumidores, mas, se isso não acontecer, acaba sendo um erro para as empresas.

Inclusive, uma fábrica que produz ponteira imantada parafusadeira pode fazer uma propaganda através da área de marketing utilizando a cor amarela para chamar a atenção dos consumidores, aumentando as vendas consideravelmente.

A psicologia das cores tem como um dos objetivos manter um produto, serviço ou marca na mente dos consumidores e não é à toa que que muitas empresas famosas no ramo alimentício conseguem impactar os clientes com as cores que utilizam.

Muitas pessoas são levadas a comprar produtos e serviços tendo como base a emoção que sentem ao visualizarem, por exemplo, a cor branca. Essa cor traz paz e tranquilidade, e pode ser associada com produtos voltados para o bem-estar e autocuidado.

É preciso analisar que tipo de sentimento um despachante quer estimular nas pessoas que pretendem tirar habilitação para micro ônibus. Se for confiança e profissionalismo, então, nesse caso, o indicado é utilizar a cor azul no estabelecimento comercial.

As cores precisam se comunicar com o consumidor, e a faixa etária do público-alvo deve ser considerada, assim como a profissão e o contexto cultural no qual o cliente está inserido.

Considerações finais 

O grande desafio das empresas, quando fazem uso da psicologia das cores, é saber combiná-las para que as mensagens transmitidas nos produtos, serviços ou marcas possam despertar emoções positivas nos consumidores.

Elas devem ser utilizadas com sabedoria para que não causem sentimentos negativos e acabem por afastar o público-alvo, diminuindo as oportunidades de vendas, causando prejuízos financeiros muito grandes.

Sem sombra de dúvidas, os sentimentos são a chave-mestra que conectam os clientes com as marcas e produtos, e eles devem ser os mais positivos possíveis. Portanto, usar as estratégias da psicologia das cores é um trabalho minucioso que requer muita atenção.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.




Quer saber como melhorar o posicionamento do seu site?
Ou, talvez você queira apenas fazer o seu melhor #anunciodevenda ...
SIM. QUERO SABER MAIS!


No Blog do Convidar publicamos dicas de como anunciar mais com anúncios de vendas mais eficientes. Da mesma forma, dicas de como fazer propaganda grátis na internet de maneira muito fácil.

Como funciona | Nossos Serviços | Análise gratuita  |  Fale Conosco  |  Anuncie Melhor  |

Certamente, gostaríamos de saber sua opinião, suas dicas e comentários. Aproveite o espaço abaixo reservado para a pessoa mais importante no nosso trabalho. Você!

 

Obrigado por nos visitar. Deixe uma opinião ou mensagem, isso nos ajuda a melhorar esse espaço

A PUBLICIDADE

É CRUCIAL PARA O SEU NEGÓCIO?
CONHEÇA O PIN!

 
A solução de marketing para empresas e pessoas fazerem mais negócios
Que tal alcançar uma fatia maior do seu mercado consumidor?
Projeto
close-link
Scroll to Top
%d blogueiros gostam disto: